O que é agroecologia? A agroecologia é um amplo conjunto de sistemas e práticas agrícolas e ecológicas. Ela inclui coisas como permacultura, agricultura regenerativa, agricultura orgânica, florestas de alimentos e outras formas inovadoras de agricultura, ao mesmo tempo em que ajuda a construir a biodiversidade e a prevenir danos ecológicos.

A agroecologia está aplicando princípios ecológicos às práticas e sistemas agrícolas. Isto inclui a concepção, desenvolvimento e gestão destes sistemas. O grande objetivo aqui é a sustentabilidade. Ela tem muitas coisas em comum com outras abordagens da agricultura sustentável.

A agricultura tradicional é diferente dos ecossistemas naturais em algumas formas principais, que a agroecologia tenta evitar:

  • A terra é mantida num estado de sucessão precoce. Em outras palavras, as copas das árvores não dominam o espaço, e é composto principalmente de arbustos e ervas aromáticas.
  • As culturas tendem a ser plantadas em filas, em oposição a formações mais naturais.
  • A biodiversidade é menos, e a monocultura é a norma.
  • São utilizados arados e lavouras que expõem o solo à erosão.
  • Cultivos artificialmente selecionados e organismos geneticamente modificados são utilizados, enquanto a agroecologia tenta minimizar o impacto humano.
  • Agroecologia é olhar primeiro para um sistema agrícola com o olhar de um ecologista. A prioridade não é a indústria, que é modelada depois de uma fábrica, em vez da natureza.
Foto: Reprodução

Nem a motivação primária da agroecologia é econômica, em outras palavras, criada para o lucro e como uma mercadoria. Os agroecologistas também podem usar costumes e conhecimentos ancestrais como parte de suas práticas agrícolas.

Agroecologistas incluem qualquer pessoa que procure criar fontes de alimentos sustentáveis e nutritivas, incluindo agricultores, cientistas, ONGs, universidades, agências públicas e consumidores finais. A agroecologia como um campo não está ligada a nenhum método específico de agricultura. Hoje há mais oportunidades do que nunca para crescer de forma sustentável.

Durante muito tempo, o sistema alimentar corporativo tem prejudicado o meio ambiente, a saúde das pessoas e o sustento dos agricultores familiares. Mas a agroecologia procura ajudar a fornecer uma solução para todos estes problemas. Atualmente, os consumidores estão exigindo alimentos mais saudáveis e cultivados localmente. A agroecologia é um movimento social que está agora alcançando um nível global onde pode realmente ter um impacto no sistema alimentar.

Foto: Reprodução

Agroecologia é um conceito de alto nível que inclui muitas práticas mais práticas como a permacultura, compra local e orgânica, agroflorestação, intercultura, agricultura regenerativa e uma série de outras práticas de agricultura sustentável. Há ainda algum debate sobre o que conta como agroecologia. Mas geralmente as práticas agroecológicas criam mais biodiversidade, agricultura e sociedades mais resilientes, reduzem a mudança climática e permitem melhor acesso a alimentos mais frescos e nutritivos.

Quer você seja um agricultor ou apenas um consumidor, todos nós podemos fazer a nossa parte para apoiar práticas agrícolas mais responsáveis do ponto de vista ambiental e social.

Os 10 elementos da agroecologia

Diversidade

A diversificação é necessária para garantir a segurança alimentar e nutricional, protegendo, melhorando e conservando os nossos recursos naturais. A agroecologia faz uso de um conjunto altamente diversificado de diferentes sistemas.

Co-criação e partilha de conhecimento

Não precisamos descobrir tudo a partir do zero. Há centenas de anos de conhecimento e ciência para nos ajudar a tomar decisões. Estas inovações ajudam-nos a responder melhor aos desafios agrícolas.

A agroecologia tenta concentrar-se em soluções individuais adaptadas a contextos específicos, em vez de prescrever uma solução de tamanho único para todas as soluções.

Foto: Reprodução

Sinergias

A agroecologia pode levar em conta diferentes interações entre culturas, gado, solo, água, árvores e outras partes da terra e considerar como todos eles podem trabalhar juntos para o máximo benefício.

A construção de sinergias ajuda a apoiar tanto a produção como a biodiversidade.

Eficiência

Só porque a agroecologia dá maior importância aos ecossistemas e ao meio ambiente, isso não significa que seus sistemas não possam ser tão produtivos quanto a agricultura convencional.

Ela utiliza práticas inovadoras para produzir maiores rendimentos e, ao mesmo tempo, utilizar menos recursos externos. O planejamento cuidadoso e o uso de sinergias permite uma agricultura mais eficiente.

Reciclagem

Os sistemas agroecológicos produzem menos resíduos. Mais é reciclado, pelo que este tipo de produção agrícola tem menores custos ambientais e econômicos.

Os resíduos não existem na natureza e tudo é reciclado. Imitar os ecossistemas naturais ajuda na reciclagem da biomassa, da água e dos nutrientes. Isto reduz tanto os resíduos como a poluição. A reciclagem pode ser feita em escala de fazenda ou em maior escala.

Foto: Reprodução

Resiliência

A agroecologia procura tornar os ecossistemas, as comunidades e as pessoas mais resistentes. Estes sistemas têm melhor resistência contra pragas, doenças, desastres naturais, e muito mais.

Valores humanos e sociais

Ao contrário de muitos tipos de agricultura convencional que se concentram apenas no lucro, a agroecologia também se concentra nos valores humanos e sociais. Ela procura melhorar a vida das pessoas nas áreas rurais e proteger o seu sustento.

Nos sistemas agroecológicos, o bem-estar social e a equidade são necessários para sistemas agrícolas sustentáveis e para a produção de alimentos. Há uma forte ênfase colocada em valores como inclusão, justiça e dignidade.

Ela aborda coisas como as desigualdades de gênero e cria oportunidades para as mulheres, o que é essencial uma vez que as mulheres constituem quase metade da força de trabalho agrícola global.

Foto: Reprodução

Cultura e tradições alimentares

Muito da cultura e do patrimônio humano está intimamente ligado às tradições alimentares. Estas coisas têm um grande impacto na formação da sociedade e do comportamento humano. Mas em muitos casos, a agricultura convencional está desligada desta cultura.

Ela permite que a obesidade e a fome existam em um mundo que produz o suficiente para garantir que todos sejam alimentados. O apoio a dietas diversificadas e culturalmente adequadas ajuda na nutrição e na segurança alimentar, ao mesmo tempo em que mantém a saúde dos ecossistemas.

Aumentar a produção de alimentos não é a resposta à fome mundial, mas sim um reequilíbrio dos hábitos alimentares e uma redução do desperdício é o que mais é necessário.

Governança responsável

Para que a agricultura sustentável funcione corretamente, a governança é necessária em todas as diferentes escalas. Desde o nível local até à governação nacional e global.

Os governos precisam de ser inclusivos, transparentes e responsáveis pela criação de um ambiente que apoie as práticas e ideias agroecológicas. Por exemplo, vários países já têm políticas e programas que recompensam a agricultura que aumenta a biodiversidade. O acesso equitativo aos recursos naturais e à terra também ajuda.

Foto: Reprodução

Economia circular e solidária

Isto significa reconectar consumidores e produtores de uma forma que assegure uma agricultura inclusiva e sustentável. O apoio aos mercados locais e ao desenvolvimento económico ajuda a manter o dinheiro dentro das comunidades.

A agroecologia tenta encontrar soluções justas com base nos recursos disponíveis e nas necessidades locais. Procura aumentar a renda dos produtores de alimentos e ao mesmo tempo manter os preços justos para os consumidores.

Isto inclui coisas como comércio eletrônico apoiado pela comunidade, mercados de produtores locais, esquemas de garantia participativa, e muito mais.

Redesenhar nossos sistemas alimentares com um enfoque mais local também pode ajudar a reduzir o desperdício global de alimentos quando a cadeia alimentar e as etapas entre produtor e consumidor são encurtadas.

Quais são os benefícios da agroecologia?

Não importa qual das diferentes abordagens você adota para a agroecologia, muitos dos benefícios são os mesmos.

Apesar de terem prioridades ou focos diferentes, todos os tipos de agroecologia contribuem para a melhoria da agricultura de uma forma ou de outra.

Foto: Reprodução

1) Aumento da biodiversidade

Como o nome sugere, uma grande parte da agroecologia é um foco na ecologia. Os proponentes da agroecologia são muito a favor da preservação dos ecossistemas e habitats naturais.

Como resultado, a biodiversidade é preservada e promovida. Os ecossistemas naturais, incluindo as florestas, abrigam muitos inimigos naturais das pragas. Estes incluem aves, insetos benéficos, répteis, e outros.

2) Preservação dos recursos naturais

Os agroecologistas vêem a importância da preservação de todos os tipos de recursos naturais. Isto inclui tudo, desde a qualidade da água, matéria orgânica do solo e diversidade genética das culturas.

Tudo isso é visto como bens que não têm necessariamente um valor monetário, mas têm um alto valor ambiental e social.

Foto: Reprodução

3) Melhoria da saúde e da nutrição

A agroecologia leva à produção de alimentos mais frescos e mais nutritivos. Os tipos de alimentos cultivados são mais diversificados e contêm uma gama mais ampla de diferentes vitaminas, minerais e fitonutrientes.

Comer muitas frutas e vegetais diferentes de uma grande variedade de cores ajuda a proporcionar uma melhor nutrição.

A agroecologia também limita a exposição a pesticidas, que podem levar a doenças e intoxicações por pesticidas se digeridos.

4) Melhoria da resiliência ecológica

A terra cultivada com princípios agroecológicos é mais capaz de suportar melhor o stress e coisas como clima extremo, erosão, etc.

Reduz a vulnerabilidade dos sistemas agrícolas às mudanças climáticas, desastres naturais e outros choques ambientais e econômicos para a agricultura.

Eles retiveram mais solo superficial e sofreram menos erosão do que as fazendas administradas convencionalmente.

Foto: Reprodução

5) Reduzir a pegada de carbono

A dependência dos combustíveis fósseis é reduzida sob um sistema agroecológico. Isto pode ajudar a reduzir grandemente a pegada de carbono da agricultura.

Ao usar sequestro de carbono e técnicas para capturar água no solo, os agricultores podem realmente mitigar e começar a ajudar a reverter a mudança climática, em vez de simplesmente retardá-la ou pará-la.

6) Mais estabilidade econômica

A agroecologia permite que os agricultores tenham rendimentos mais estáveis. A agricultura de um conjunto mais diversificado de culturas permite uma renda mais tolerante ao risco.

As necessidades de mão-de-obra e produção são distribuídas ao longo de mais tempo, em vez de ter períodos específicos de tempo como o plantio e a colheita, que são extremamente intensivos, com períodos intercalados.

Ter múltiplas culturas significa que o fracasso de uma não será financeiramente devastador como seria para uma monocultura que é completamente dizimada por pragas ou doenças.

O agricultor também é menos vulnerável às oscilações de preços e às mudanças na oferta e na procura de produtos individuais.

Foto: Reprodução

7) Inclusivo

Valores da agroecologia colaboram com grupos indígenas e grupos historicamente marginalizados. Procure aprender sobre suas práticas agrícolas tradicionais, que em alguns casos podem produzir rendimentos superiores ao que a agricultura convencional é capaz hoje.

8) Base científica

É um campo de estudo intensivo em conhecimento que dá muito valor à inovação tecnológica avançada e à investigação científica formal.

A agroecologia aprofunda o conhecimento sobre fertilidade do solo, controle de pragas biológicas, variedades de sementes, ecologia agrícola, sistemas de cultivo, e outros tópicos a um nível científico muito avançado.

Podemos usar observações científicas para fazer soluções repetitivas para problemas comuns da agricultura.

9) Benefícios sócio-culturais e políticos

Sistemas agrícolas baseados na agroecologia são melhores no apoio às comunidades locais. Eles ajudam no estabelecimento de redes sociais, legais e técnicas de apoio entre os agricultores e suas comunidades.

Também podem ajudar os povos indígenas que são mais vulneráveis política e sócio-economicamente.

Foto: Reprodução

Diferentes abordagens à agroecologia

Agroecologia é um termo amplo que engloba muitas crenças e abordagens diferentes sobre a agricultura. Os agroecologistas nem sempre concordam sobre como deve ser a agricultura sustentável a longo prazo.

Algumas pessoas podem sentir que certas ideias não vão suficientemente longe, enquanto outras pensam que abordagens mais idealistas podem não ser muito práticas para a produção de alimentos em larga escala.

Na maioria das vezes, o que você acredita que a agroecologia significa se resumirá a como você define a palavra ecologia. Ela pode ter várias conotações políticas, bem como ambientais.

A agroecologia pode incluir tudo, desde a qualidade do ar, qualidade da água, saúde do solo, flora, fauna, toxinas ambientais, povos indígenas, e outros tópicos.

Mais comumente, a agroecologia é definida como o estudo das interações entre humanos, plantas, animais e o meio ambiente dentro de um sistema agrícola. Mas pode incluir os temas mais amplos de significado econômico, cultural e social.

Na América do Norte e Europa, o termo tende a enfocar menos os aspectos sociais e políticos, e mais apenas a ciência em relação ao meio ambiente e à qualidade dos alimentos.

Deixe uma resposta