A sálvia é uma erva nativa do Mediterrâneo. Pertence à mesma família do orégano, lavanda, alecrim, tomilho e manjericão. Ervas e especiarias podem ter capacidades antioxidantes extremamente altas e agregar sabor extra em uma refeição. Isso significa que as pessoas podem usar ervas para reduzir a ingestão de sódio, pois menos sal é usado para dar sabor a uma refeição.

A sálvia tem folhas e flores comestíveis verde-acinzentadas que podem variar de azul e roxo a branco ou rosa. Existem mais de 900 espécies de sálvia em todo o mundo. A Sálvia tem uma longa história de uso medicinal para doenças que variam de transtornos mentais a desconforto gastrointestinal. A comunidade científica apoia suas aplicações médicas.

Uma pesquisa do Medical News Today Knowledge Center, que faz parte de uma coleção de artigos sobre os benefícios para a saúde de alimentos populares, fornece um perfil nutricional de sálvia, uma análise aprofundada de seus possíveis benefícios à saúde, maneiras de incorporar mais sálvia à dieta e quaisquer riscos potenciais à saúde de consumir sálvia.

Foto: Reprodução

Fatos e curiosidade sobre a sálvia

Sálvia faz parte da família de hortelã, ao lado de orégano, lavanda, alecrim, tomilho e manjericão. Nos últimos anos, estudos demonstrando os benefícios de saúde da sálvia têm crescido em número. A sálvia parece conter uma gama de compostos anti-inflamatórios e antioxidantes. Existem mais de 900 espécies de sálvia no planeta.

A sálvia tem vários benefícios para a saúde comprovados

A sálvia pode ajudar a proteger as células do corpo dos danos causados ​​pelos radicais livres devido à sua alta capacidade antioxidante. Os radicais livres geralmente causam a morte das células e podem levar à imunidade prejudicada e doenças crônicas. Outros benefícios potenciais incluem:

1) Tratamento de Alzheimer: Uma revisão recente de estudos mostrou que espécies de sálvia podem afetar positivamente as habilidades cognitivas e proteger contra distúrbios neurológicos. O autor do estudo sustenta que “In vitro, estudos em animais e em humanos preliminares apoiaram a evidência das plantas da Sálvia para aprimorar as habilidades cognitivas e proteger contra distúrbios neurodegenerativos”. Outros estudos mostraram que a Sálvia também pode melhorar a memória em adultos jovens e saudáveis. Mais pesquisas são necessárias, pois a maioria dos estudos foi realizada em apenas duas espécies de sálvia, Salvia officinalis (S. officinalis) e S. lavandulaefolia.

Imagem: Reprodução

2) Diminuindo a Glicose e o Colesterol no Sangue: Um estudo analisou 40 pessoas com diabetes e colesterol alto tomarem extrato de folha de sálvia por 3 meses. No final do estudo, os participantes apresentaram menor glicemia de jejum, menores níveis médios de glicose ao longo de um período de 3 meses e menor colesterol total, triglicerídeos e níveis de colesterol prejudicial. No entanto, os participantes apresentaram níveis aumentados de HDL ou colesterol “bom”. Os pesquisadores concluíram “As folhas de sálvia podem ser seguras e ter efeitos anti-hiperglicêmicos e de melhoria do perfil lipídico em pacientes diabéticos hiperlipidêmicos tipo 2”. Outro estudo clínico duplo-cego foi realizado em 80 indivíduos com diabetes tipo 2 mal controlado.

O estudo também descobriu que a sálvia causou um efeito positivo nos níveis de açúcar no sangue. Após 2 horas de jejum, os níveis de açúcar no sangue em indivíduos que receberam sálvia diminuíram significativamente quando comparados ao grupo controle. Este estudo concluiu que a sálvia pode mostrar benefícios para as pessoas com diabetes para reduzir os níveis de glicose 2 horas após o jejum.

Imagem: Reprodução

3) Controle da inflamação: Embora sejam necessárias mais evidências para confirmar esse benefício, certos compostos da sálvia parecem ter uma ação anti-inflamatória. Um estudo investigou os efeitos de uma variedade desses compostos na resposta inflamatória em fibroblastos gengivais. Estes são um tipo comum de célula encontrada no tecido conjuntivo das gengivas. Alguns dos compostos da sálvia ajudaram a reduzir esse tipo de inflamação. Estudos mais recentes têm apoiado o uso de sálvia na odontologia por suas propriedades anti-inflamatórias.

Valor nutricional da sálvia

A sálvia contém uma riqueza de nutrientes e vitaminas. No entanto, como é normalmente consumido em quantidades tão pequenas, a sálvia não fornece quantidades significativas de calorias, carboidratos, proteínas ou fibras. Uma colher de chá de sálvia moída ainda contém vários nutrientes poderosos, incluindo: 2 calorias, 3 miligramas (mg) de magnésio, 1 mg de fósforo, 7 mg de potássio, 2 microgramas (mcg) de folato, 24 mcg de beta-caroteno, 41 unidades internacionais (UI) de vitamina A, 12 mcg de vitamina K.

A sálvia também contém numerosos compostos anti-inflamatórios e antioxidantes que podem ser benéficos para a saúde. Esses compostos incluem 1,8-cineol, cânfora, borneol, acetato de bornil, canfeno. Embora sejam necessários mais estudos para confirmar as ações desses compostos, muitos já demonstraram efeitos positivos no corpo e em seus sistemas.

Foto: Reprodução

Consumo da sálvia

O sábio pode ser comido inteiro ou moído. Adicionar sálvia a um prato é uma ótima maneira de melhorar o sabor sem adicionar calorias ou sal extras. A erva geralmente combina bem com aves e suínos. Experimente algumas destas receitas saudáveis e deliciosas desenvolvidas por nutricionistas registrados usando sálvia: Picadas de linguiça e recheio de maçã com sálvia, Bolinhos de abóbora com sálvia, costeletas de maçã e sálvia, queijo com batata doce e couve com farinha de rosca de sálvia. A sálvia é frequentemente usada como fragrância em sabonetes e cosméticos, devido ao seu aroma agradável. Extratos de sálvia e suplementos de ervas também estão disponíveis.

Quais são os riscos da sálvia para a saúde?

A sálvia natural é segura para a maioria das pessoas e causa pouco ou nenhum efeito colateral conhecido. A eficácia e os efeitos colaterais dos suplementos de sálvia variam de acordo com a marca e o processo de produção. Óleo essencial de sálvia não deve ser consumido. É possível ser alérgico.

Foto: Reprodução

Cuidado! A Sálvia divinorum é uma droga!

Salvia divinorum é uma erva da família das mentas, que é frequentemente usada por seus efeitos alucinógenos. É nativo do sul do México e de partes da América Central e do Sul. Lá, ele tem sido usado em cerimônias tradicionais pelos índios Mazatecas há séculos.

O ingrediente ativo da sálvia, a salvinorina A, é considerado um dos medicamentos psicoativos de ocorrência natural mais potentes. Os efeitos deste medicamento incluem alucinações, tonturas, distúrbios visuais e muito mais.

Os nomes que dão nas ruas para a Sálvia incluem Sally-D, Menta Mágica, Sábio do Adivinho e Maria Pastora. Embora a sálvia seja legal em alguns estados, ainda é uma droga poderosa com efeitos reais e possíveis riscos. Se você usa sálvia ou já pensou em experimentá-la, é uma boa ideia saber o que é a droga, quais são os riscos e o que você pode esperar quando a toma.

Foto: Reprodução

Como a Sálvia divinorum é usada?

A erva geralmente não é usada em cigarros enrolados ou em juntas, porque as folhas secas podem não ser potentes o suficiente para criar qualquer efeito. Mais frequentemente, folhas frescas são usadas para criar um extrato. Tubos ou bongs de água podem ser usados ​​para fumar esses extratos. Os extratos de sálvia também podem ser infundidos em bebidas ou canetas vaporizadoras. As folhas frescas de sálvia também podem ser mastigadas. Assim como as folhas secas, as folhas frescas não são consideradas muito potentes, mas algumas pessoas podem experimentar um efeito leve.

A sálvia é segura para ingerir?

Sim, o uso da sálvia é considerado seguro, mas não foi amplamente estudado. Isso significa que possíveis efeitos colaterais e riscos que podem ser prejudiciais à sua saúde ainda não podem ser entendidos. Também é importante tomar precauções se você usar sálvia. Por exemplo, você não deve consumir a droga e tentar dirigir ou operar um veículo ou maquinaria.

A quantidade de sálvia segura para ingerir depende do tipo de sálvia que você usa. A sálvia é potente, portanto, pequenas doses podem produzir efeitos alucinógenos. O National Drug Intelligence Center (NDIC) aconselha não mais de 500 microgramas, ou 0,0005 gramas. Se você está fumando folhas secas, uma dose de 1/4 de 1 grama é considerada segura para consumo. Se você usa extratos, menos é mais. O NDIC recomenda que quanto maior a concentração do extrato, menor a dose. Por exemplo, 0,1 a 0,3 gramas de extrato de sálvia 5x podem ser considerados seguros. Se você tentar usar 10x extrato de sálvia em um dia, uma ingestão segura pode estar entre 0,05 e 0,15 gramas. Se você optar por mastigar folhas frescas de sálvia, uma dose de cerca de cinco folhas é considerada segura.

Foto: Reprodução

Como a sálvia afeta seu cérebro e corpo?

Como a salvinorina A, o ingrediente ativo da sálvia, afeta seu cérebro, não está claro. Os pesquisadores continuam estudando a droga para entender melhor seus efeitos. Pensa-se que este ingrediente se liga às células nervosas do seu corpo para criar uma variedade de efeitos alucinógenos.

Esses efeitos podem ocorrer rapidamente, em apenas 5 a 10 minutos após fumar ou inalar a droga. Embora esses efeitos durem pouco tempo, algumas pessoas podem experimentar uma situação por várias horas, dependendo do volume da ingestão. Embora seu cérebro experimente os maiores efeitos, alguns efeitos físicos são possíveis. Esses incluem náuseas, tonturas, possível perda de controle sobre as funções e coordenação motora e frequência cardíaca irregular.

Os efeitos da sálvia no seu cérebro podem incluir:

  • Alucinações visuais e auditivas, como ver luzes brilhantes, cores vivas ou formas extremas;
  • Realidade distorcida e percepções alteradas do ambiente;
  • Sentir-se como se estivesse tendo uma experiência “fora do corpo” ou se sentindo desconectado da realidade;
  • Fala arrastada;
  • Rir incontrolavelmente;
  • Ansiedade
Foto: Reprodução

Quais são os riscos e efeitos colaterais?

Os estudos sobre a sálvia são poucos e distantes, mas os pesquisadores procuram entender melhor como a droga funciona e quais efeitos ela pode ter no corpo e no cérebro. A sálvia é frequentemente comercializada como uma “alta legal” ou “alta natural”, mas isso não significa que você não deve tomar precauções se a usar. Como a pesquisa é limitada, a lista de possíveis efeitos colaterais e riscos é curta. No entanto, os possíveis problemas são sérios e merecem consideração. Esses incluem:

Dependência: A sálvia não é considerada viciante. É improvável que você desenvolva uma dependência química do medicamento, mas muitas pessoas que o usam se acostumam a usar o medicamento para os efeitos aumentarem cada vez mais. O uso regular pode ser motivo de preocupação.
Efeitos Colaterais Físicos: Um estudo da Trusted Source descobriu que pessoas que usam sálvia, sozinhas ou com álcool ou outras drogas, têm maior probabilidade de apresentar efeitos colaterais neurológicos, cardiovasculares e gastrointestinais.
Efeitos na aprendizagem e na memória de longo prazo: Um estudo da Trusted Source descobriu que o uso da sálvia pode ter efeitos negativos no aprendizado e prejudicar as memórias de longo prazo. Este estudo foi realizado em ratos, portanto, não está claro como isso se traduz em seres humanos.
Ansiedade: Preocupações com os efeitos da droga e o medo de uma “má viagem” podem ocorrer com o uso da sálvia. Em casos graves, você pode experimentar paranoia e possivelmente um ataque de pânico.

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta