O jiloeiro é uma planta herbácea anual que forma um arbusto bem ramificado que pode crescer até um metro de altura. Os ramos são alongados, cilíndricos e verdes, com folhas alongadas e cobertos de numerosos pelos, especialmente na parte inferior. Os jilós, frutos do jiloeiro, são um produto comercial que apresenta, coloração verde clara ou escura e, dependendo da variedade, podem ser alongados, quase esféricos ou alongados. O jiló tem um sabor amargo pronunciado e característico.Apesar do sabor amargo bastante característico e da maioria das pessoas torcerem o nariz para ele, o jiló é uma fruta que tem parentesco com a berinjela, o pimentão e o tomate.

A origem do jiló é incerta, mas é particularmente abundante no continente africano e no Brasil, onde foi introduzido no início do século XVII. O jiló é uma fruta que geralmente é confundida com legumes, conhecida pelo seu sabor amargo, que muitas pessoas podem não gostar.

A principal produção brasileira hoje encontra-se nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Jiló é uma fonte razoável de carboidratos e proteínas, juntamente com vitaminas A, C e complexos B e minerais como cálcio, fósforo e ferro. É também considerado um estimulante do metabolismo hepático e um regulador do sistema digestivo. No Brasil rural, o jiló é usado para combater resfriados.

Foto: Reprodução

A planta é muito sensível ao frio, pelo que o período de plantação decorre de Agosto a Março e o clima mais quente permite que a planta seja cultivada na costa durante todo o ano. A cultura do jiló é melhor desenvolvida em solos arenosos argilosos com boa drenagem. A colheita começa 80 a 100 dias após a plantação e pode durar de três a seis meses.

Os frutos devem ainda ser colhidos verdes, mas apenas até um tamanho máximo, e podem ser colhidos uma ou duas vezes por semana. O amadurecimento dos frutos é indesejável e ocorre em poucos dias a temperaturas de quase 20 graus Celsius. Os jilós que já amadureceram sementes vermelhas e endurecidas são inutilizáveis para consumo. A produtividade normal está entre 16 e 20 toneladas por hectare.

As variedades mais comuns são a Morro Grande, que tem frutos redondos e é popular no mercado paulista, enquanto as variedades Comprido Verde e Tinguá têm frutos mais longos e um sabor ligeiramente menos amargo preferidos pelos consumidores de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Foto: Reprodução

Recomendado para uma dieta de baixas calorias, o jiló é um vegetal que, além das vitaminas B5 e C, também contém quantidades significativas de sais minerais como cálcio, fósforo e ferro. Cálcio, fósforo e ferro estão envolvidos na formação de ossos e dentes, construção muscular e coagulação do sangue.

A vitamina B5 faz parte do complexo B, cujas principais funções são a prevenção dos distúrbios da pele, do sistema digestivo e nervoso e do reumatismo. A vitamina C no jiló, por outro lado, não é usada pelo corpo porque é perdida durante o cozimento normal.

O jiló deve ser mantido em geladeira, nas prateleiras inferiores, longe do freezer. E se a família não gostar da amargura destes vegetais, tente cozinhá-los. A época da colheita acontece entre os meses de janeiro e maio. A fruta é conhecida pelo seu sabor amargo, é geralmente confundida com um vegetal e, além das vitaminas C e B5, é também rica em sais minerais como cálcio, fósforo e ferro.

Foto: Reprodução

Jiló (Solanum gilo) pertence à família Solanaceae e é semelhante à berinjela em seu hábito de crescimento. É importante verificar se a cor é uniformemente verde, pois as manchas amareladas indicam que o fruto está maduro e tem um sabor muito amargo e desagradável. Jiló tem forma redonda, casca fina e lisa de cor verde que fica amarela quando o fruto está maduro. A polpa do jiló é macia, porosa e com pequenas sementes brancas que lembram as berinjelas.

Para o uso na cozinha, o jiló ainda é colhido verde, quando tem um sabor menos amargo. Ele pode ser consumido cozido, preparado em guisados e assado. Em algumas regiões do Brasil o jiló também é usado na medicina geral para fazer uma infusão de brandy contra gripe, resfriados e febre. Embora não muito nutritivo, o jiló tem algumas vitaminas e alguns ácidos fortes que causam a secreção de sucos gástricos e ajudam na digestão de outros alimentos.

O bom jiló para consumo deve ser liso, brilhante, firme e livre de hematomas. Veja a cor do jiló, que também deve ser verde, pois as manchas amarelas indicam que a fruta está madura e tem um sabor muito amargo e desagradável. Calcular com compra 1/2 kg jiló para 4 pessoas. Lave bem o jiló, coloque-o em um saco plástico e guarde-o na gaveta da geladeira. Desta forma, ele pode ser armazenado por 4 dias.

Foto: Reprodução

Quais são os benefícios do jiló para a saúde?

Ajuda na perda de peso

Se os alimentos de baixa caloria devem fazer parte da dieta das pessoas que querem perder peso, então o jiló é algo que não deve ser deixado de fora das refeições. O teor calórico dele é bastante baixo: uma unidade tem apenas oito calorias.

Mas isso não é tudo porque tem um elevado teor de água – o líquido constitui 90% da composição – e uma boa quantidade de fibra alimentar promove a sensação de saciedade do corpo.

Isso significa que a inclusão do jiló nas refeições facilita o controle do apetite, que é um passo importante para a perda de peso. No entanto, o consumo ocasional da fruta não é suficiente para alcançar estes benefícios. Para isso, é necessário comer a comida uma ou duas vezes por semana.

Foto: Reprodução

Colabora para a saúde da visão

Pesquisas destinadas a identificar os danos causados pelo consumo excessivo de alimentos podem levar a problemas de visão e, finalmente, provar que um dos benefícios do jiló está precisamente relacionado com os olhos.

O experimento analisou homens do sexo masculino com glaucoma e descobriu que tomar a fruta não causa doença ocular e pode ajudar a reduzir a pressão ocular em pacientes que sofrem da doença.

Contribui para a saúde bucal

O consumo do jiló estimula o fluxo de saliva e promove um efeito bactericida, o que provoca uma limpeza da boca e ajuda a melhorar a respiração.

Foto: Reprodução

É um aliado da saúde do coração

O jiló também ajuda a saúde do coração por ser uma fonte de vitamina B1 – ou tiamina – um nutriente necessário para o bom funcionamento do coração. Além disso, a fruta traz potássio em sua composição, que atua sobre a regulação da pressão arterial e também ajuda no que diz respeito à função cardíaca.

Ajuda na proteção das artérias

Outra vantagem do jiló é a proteção das artérias. Porque é uma fonte de flavonoides, substâncias com propriedades antioxidantes que trazem essa proteção para esses vasos sanguíneos e evitar a acumulação de colesterol.

Os depósitos de colesterol nas artérias podem causar depósitos de gordura que os comprimem e afetam o fluxo sanguíneo. Se a substância se acumula na região, pode ficar obstruída, o que é um fator de risco para um ataque cardíaco.

Esse acúmulo também pode levar ao desenvolvimento de aterosclerose, uma condição que apresenta sintomas como dor no peito ou nas pernas, falta de ar, fadiga e uma sensação de fraqueza e pode exigir tratamento cirúrgico.

Foto: Reprodução

Oferece auxílio na luta contra a anemia

Para aqueles que sofrem de anemia por deficiência de ferro, ou seja, anemia por deficiência de ferro no corpo pode se beneficiar da deficiência de ferro. De acordo com um estudo publicado no International Journal of Science and Research (IJSR), tomar a fruta, acompanhada de alho e amendoim, pode proteger o baço – o órgão responsável pela produção, controle e armazenamento das células do sangue – de animais com anemia.

Vale ressaltar que a anemia por deficiência de ferro causa uma diminuição na produção de hemácias, que estão envolvidas no transporte de oxigênio no corpo.

Outro ponto importante é que, enquanto aqueles que não têm ferro podem se beneficiar dos alimentos, as pessoas que já têm altas doses do nutriente em seus corpos e não o eliminam facilmente podem sofrer com o excesso do mineral.

A condição é chamada hemocromatose, que causa vômitos, diarreia, alterações intestinais, fadiga, feridas nas articulações, alterações na libido, alterações na cor da pele e doenças hepáticas. Em casos mais graves, a doença causa cirrose, insuficiência cardíaca, diabetes e problemas endócrinos.

Foto: Reprodução

Ajuda na prevenção de doenças

As propriedades anti-cancerígenas e o elevado teor de fibras em combinação com o baixo teor de gordura ajudam a prevenir problemas de saúde como o cancro intestinal e a obstipação.

Auxilia no controle da glicemia

O jiló contribui para o controlo da ingestão de glucose através do seu baixo teor de fibras e baixo teor de hidratos de carbono. Isto evita picos e bebedouros repentinos nos níveis de açúcar no sangue, o que é particularmente perigoso para pessoas com diabetes.

Deixe uma resposta