As pessoas escolhem a erva doce por seu sabor agradável e pelos benefícios à saúde. Desde os tempos antigos a erva doce é usada em remédios naturais, e a prática continua. A erva doce é uma planta mediterrânea que hoje é popular em todo o mundo.

A erva doce tem um bulbo pálido e longos talos verdes. Ela pode crescer em quase qualquer lugar. Todas as partes da planta da erva doce, incluindo o bulbo, caule, folhas e sementes, são comestíveis. Elas adicionam sabor a outros alimentos.

Foto: Reprodução

Um bulbo de erva doce crua, pesando 234 gramas (g), contém:

  • 73 calorias
  • 0,47 g de gordura
  • 2,9 g de proteína
  • 17 g de carboidrato
  • 7,3 g de fibra dietética
  • sem colesterol

Uma xícara de erva doce também fornece:

  • 360 miligramas (mg) de potássio
  • 45 mg de sódio
  • 838 unidades internacionais (UI) de vitamina A
  • 43 mg de cálcio
  • 10,4 mg de vitamina C
  • 0,64 mg de ferro
  • 0,041 mg de vitamina B-6
  • 15 mg de magnésio

Erva doce também contém:

  • fósforo
  • zinco
  • cobre
  • manganês
  • selênio
  • niacina
  • ácido pantotênico
  • folato
  • colina
  • beta-caroteno
  • luteína
  • zeaxantina
  • vitamina E
  • vitamina K

Além destes, a erva doce fornece altos níveis de nitratos dietéticos e é uma fonte natural de estrogênio.

Foto: Reprodução

Quais são os benefícios da erva doce?

Os nutrientes da erva doce estão ligados a uma série de benefícios para a saúde.

Saúde óssea

O teor de vitaminas e minerais da erva doce contribui para a construção e manutenção da estrutura e resistência óssea das seguintes formas:

  • Fosfato e cálcio são ambos importantes na estrutura óssea.
  • Ferro e zinco são cruciais para a produção e maturação do colágeno.
  • A formação da matriz óssea requer o mineral manganês.
  • O baixo consumo de vitamina K tem sido associado a um maior risco de fratura óssea.
  • A vitamina K é importante para a saúde, pois modifica as proteínas da matriz óssea, melhora a absorção do cálcio e pode reduzir a excreção de cálcio na urina.

Pressão arterial

Manter uma baixa ingestão de sódio é essencial para diminuir a pressão arterial, mas aumentar a ingestão de potássio pode ser igualmente importante devido ao seu papel na vasodilatação, dilatação e contração dos vasos sanguíneos. De acordo com o National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES), menos de 2% dos adultos americanos atendem à recomendação diária de 4.700 mg de potássio.

Além disso, há evidências de que o potássio, o cálcio e o magnésio diminuem a pressão sanguínea naturalmente. Todos eles estão presentes na erva doce. Nitratos dietéticos presentes na erva doce e outros alimentos têm propriedades vasodilatadoras e vasoprotetores. Devido a isso, eles ajudam a diminuir a pressão arterial e protegem o coração. Um estudo de 2014 descobriu que os níveis de pressão arterial estavam mais baixos após a ingestão de suplementos de nitrato.

Foto: Reprodução

Saúde do coração

As fibras, potássio, folato, vitamina C, vitamina B-6 e o teor de fitonutrientes da erva doce, aliados à sua falta de colesterol, favorecem a saúde do coração. A erva doce contém quantidades significativas de fibras. As fibras diminuem o risco de doenças cardíacas, pois ajudam a reduzir a quantidade total de colesterol no sangue.

O potássio parece promover a saúde do coração. Em um estudo, pessoas que consumiam 4.069 mg de potássio por dia tinham um risco 49% menor de morte por doenças cardíacas isquêmicas em comparação com aquelas que consumiam cerca de 1.793 mg por dia.

A vitamina B-6 e o folato evitam a formação de um composto chamado homocisteína, convertendo-o em um composto diferente, a metionina. Quando quantidades excessivas de homocisteína se acumulam, podem danificar os vasos sanguíneos e levar a problemas cardíacos.

Câncer

O selênio é um mineral da erva doce, mas não da maioria das outras frutas e vegetais (como é encontrado principalmente na castanha do Brasil e nas proteínas animais). Ele contribui para a função enzimática do fígado e ajuda a desintoxicar alguns compostos causadores de câncer no organismo. O selênio também pode prevenir a inflamação e diminuir as taxas de crescimento tumoral.

A ingestão de fibras de frutas e vegetais como a erva doce está associada a um menor risco de câncer colorretal. Vitamina C, vitamina A e beta-caroteno são poderosos antioxidantes que podem ajudar a proteger as células contra danos dos radicais livres. A erva doce contém folato, que tem um papel na síntese e reparação do DNA. Isso pode ajudar a prevenir a formação de células cancerígenas por causa de mutações no DNA.

Imunidade

O selênio encontrado na erva doce parece estimular a produção de células T assassinas. Isto sugere que ele pode melhorar a resposta imunológica à infecção.

Foto: Reprodução

Inflamação

A colina é um nutriente muito importante e versátil no funcho que ajuda no sono, no movimento muscular, na aprendizagem e na memória. Também ajuda a manter a estrutura das membranas celulares, auxilia na transmissão dos impulsos nervosos, auxilia na absorção de gordura e reduz a inflamação crônica.

Metabolismo

A erva doce é uma fonte de vitamina B-6, que desempenha um papel vital no metabolismo energético ao decompor os carboidratos e proteínas em glicose e aminoácidos. Estes compostos menores são mais facilmente utilizados para energia dentro do organismo.

Digestão e regularidade

O conteúdo de fibras na erva doce ajuda a prevenir a constipação e promove a regularidade para um trato digestivo saudável.

Controle de peso e saciedade

A fibra dietética é um fator importante no controle de peso e funciona como um “agente de volume” no sistema digestivo. Estes compostos aumentam a saciedade e reduzem o apetite, fazendo com que um indivíduo se sinta mais cheio por mais tempo e assim diminuindo a ingestão calórica geral.

Foto: Reprodução

Aumenta a absorção de ferro

A deficiência de ferro é uma das deficiências nutricionais mais comuns no mundo, afetando cerca de 2 bilhões de pessoas em todo o mundo. É também uma das principais causas de anemia.

A combinação de alimentos ricos em vitaminas C, como a erva doce, com alimentos ricos em ferro pode melhorar a capacidade do organismo de absorver ferro.

Estrogênio

O estrogênio ocorre naturalmente na erva doce. Ele desempenha um papel central na regulação do ciclo reprodutivo feminino, podendo também determinar a fertilidade.

Um estudo sobre ratos realizado pela University of Texas Southwestern Medical Center descobriu que o estrogênio também desempenha um papel importante no controle de fatores que contribuem para o peso corporal, como apetite, distribuição de gordura corporal e gasto energético. As mulheres menopausadas têm níveis menores de estrogênio que estão associados a um maior ganho de peso abdominal.

Síndrome pré-menstrual

Algumas pesquisas têm sugerido que o extrato de funcho pode reduzir os efeitos da síndrome pré-menstrual (TPM).

Pele

A erva doce é uma excelente fonte de vitamina C. A vitamina C é essencial ao colágeno, o sistema de suporte da pele, e também funciona como antioxidante para ajudar a prevenir danos causados pelo sol, poluição e fumaça. A vitamina C também promove a capacidade do colágeno de suavizar rugas e melhorar a textura geral da pele.

Foto: Reprodução

Dieta

A erva doce tem textura crocante e sabor levemente adocicado, tornando-o uma adição agradável a qualquer prato, seja ele comido cru ou cozido. Uma pessoa pode comer todas as partes da planta da erva doce ou usar as sementes como condimento. Ao comprar a erva doce, evite bolbos manchados ou machucados e procure firmeza e uma cor branca ou verde pálido. Os caules devem ser verdes, e as folhas devem ser retas e empacotadas juntas. Uma planta de erva-doce com botões floridos está muito madura.

A erva doce permanecerá fresco na geladeira por cerca de 4 dias. Coma a erva doce logo após a compra, porém, pois ele perde o sabor com o tempo. As sementes secas de erva doce podem durar cerca de 6 meses em um recipiente hermético ou em uma área fresca e seca, como um armário de especiarias.

Para preparar a erva doce corte os caules do bulbo na base onde eles brotam e fatia o bulbo verticalmente. Prepare as folhas de erva doce, talos e bulbos de várias maneiras, inclusive:

  • Usando os talos como base de sopa ou caldo
  • Salteando as folhas e caules com cebolas para um lado rápido e fácil
  • Misturando erva doce fatiada com uma variedade de seus vegetais frescos favoritos para uma salada leve e crocante
  • Servindo bulbos de erva doce assados como entrada

Quais são os riscos de consumir erva doce?

Algumas especiarias, incluindo coentros, erva doce e cominho, podem causar reações alérgicas severas em alguns indivíduos. Aqueles que são alérgicos a estas especiarias não devem comê-las.

Beta-bloqueadores, uma doença cardíaca e medicação para ansiedade, podem causar o aumento dos níveis de potássio no sangue. Consumir alimentos com alto teor de potássio, como erva doce, com moderação ao tomar beta-bloqueadores.

Níveis altos de potássio no corpo podem representar um sério risco para pessoas com danos renais ou rins que não estejam totalmente funcionais. Os rins danificados podem não conseguir filtrar o excesso de potássio do sangue, e isto pode ser fatal.

É importante lembrar que um único alimento não pode prevenir doenças e melhorar a saúde em geral, mas uma dieta variada e nutritiva pode ajudar. Comer uma variedade de alimentos frescos é a chave para uma boa saúde.

Foto: Reprodução

Chá de erva doce

O uso do chá de erva doce pode ser ligado ao povo da Grécia Antiga e Roma, onde a planta da erva doce era usada em celebrações e rituais tradicionais para simbolizar a natureza. Na Grécia, o talo da erva doce era usado para roubar o fogo de seus deuses por Prometeu. Eles carregavam o fogo usando seu tronco, já que era usado para cozinhar alimentos. Por isso, tinha que ser carregado com uma erva boa para a digestão.

Para as sementes, o seu uso pode ser ligado à Grécia Antiga, onde os atletas as levavam para aumentar a sua resistência. Os médicos gregos recomendavam o chá de erva doce às mães lactantes para aumentar o leite materno. No Egito Antigo, China e Índia, o chá de erva doce era usado para tratar picadas de insetos e cobras. Entretanto, durante o jejum, as sementes de erva-doce eram comidas para aliviar a fome.

Hoje, esta erva é cultivada em muitas partes do mundo e é amplamente utilizada para cozinhar, devido aos seus muitos benefícios para a saúde. Além disso, ela é adicionada à pasta de dente para dar-lhe sabor. Como você pode ver, o chá de erva doce não é um chá recém-descoberto; ele tem sido usado por muitos séculos. Vamos agora discutir os benefícios à saúde que você pode obter com este chá de ervas.

Como fazer chá de erva doce

Existem diferentes maneiras de fazer chá de erva doce, mas aqui está a receita mais popular:

  • Coloque uma colher de chá de sementes de erva doce em uma xícara de chá e despeje água quente sobre ela
  • Certifique-se de não ferver sementes de erva doce, pois isso mata a maioria de seus nutrientes importantes.
  • Cubra e deixe descer por 10 minutos. Você vai receber um chá amarelo claro. Beba-o quente ou frio três vezes ao dia.

O melhor momento para tomar este chá é após as refeições, pois ele auxilia na digestão. Além disso, deixa um sabor adocicado que é semelhante ao do alcaçuz, e assim serve como uma “sobremesa”.

Foto: Reprodução

Fonte: www.medicalnewstoday.com/

www.topictea.com

Deixe uma resposta