A Árvore da Vida é um símbolo popular e universal que representa múltiplas coisas diferentes através de várias culturas e religiões. O símbolo não pertence a uma cultura específica, pois tem sido usado em todo o mundo há séculos.

A árvore é vista como um símbolo sagrado, que carrega simbolismos e significados tanto nas filosofias religiosas quanto nas espirituais. Enquanto a Árvore da Vida simboliza muitas coisas diferentes, existem alguns temas comuns que o símbolo representa dentro de múltiplas culturas.

Quais são os significados da Árvore da Vida?

Uma Conexão com Tudo: A Árvore da Vida comumente representa a interconexão de tudo no universo. Ela simboliza a união e serve como um lembrete de que você nunca está sozinho ou isolado, mas sim que está conectado ao mundo. As raízes da Árvore da Vida cavam fundo e se espalham pela terra, aceitando assim o alimento da Mãe Terra, e seus galhos alcançam o céu, aceitando a energia do sol e da lua.

Ancestralidade, Família e Fertilidade: O símbolo da Árvore da Vida também representa a conexão com a família e os antepassados. A Árvore da Vida tem uma intrincada rede de ramos que representa como uma família cresce e se expande através de muitas gerações. Também simboliza a fertilidade, pois sempre encontra uma maneira de continuar crescendo, através de sementes ou novas mudas, e é exuberante e verde, o que significa a sua vitalidade.

Crescimento e Força: Uma árvore é um símbolo universal de força e crescimento, pois se mantém alta e forte em todo o mundo. Eles espalham suas raízes profundamente no solo para o solo e se estabilizam. As árvores podem resistir à mais dura das tempestades, por isso são um símbolo tão proeminente de força. A Árvore da Vida representa o crescimento como uma árvore que começa como um pequeno e delicado rebento e cresce por muito tempo até se tornar uma árvore gigante e forte. A árvore cresce para cima e para fora, representando como uma pessoa cresce mais forte e aumenta seus conhecimentos e experiências ao longo de sua vida.

Imagem: Reprodução

Individualidade: A Árvore da Vida simboliza a individualidade de cada um, pois as árvores são todas únicas, com seus ramos brotando em diferentes pontos e em diferentes direções. Ele simboliza o crescimento pessoal de uma pessoa em um ser humano único à medida que diferentes experiências a moldam em quem ela é. Com o tempo, as árvores adquirem características mais únicas, à medida que os galhos se quebram, novos ramos crescem e à medida que o tempo cobra o seu pedágio – tudo isso ao longo do qual a árvore permanece forte e robusta. Esta é uma metáfora de como as pessoas crescem e mudam ao longo de sua vida e como suas experiências únicas as moldam e valorizam sua individualidade.

Imortalidade e Renascimento: A Árvore da Vida é um símbolo de renascimento à medida que as árvores perdem as folhas e parecem estar mortas durante o inverno, mas depois aparecem novos botões e folhas novas e frescas se desenrolam durante a primavera. Isto representa o início de uma nova vida e um novo começo. A Árvore da Vida também simboliza a imortalidade porque mesmo quando a árvore envelhece, ela cria sementes que carregam sua essência para que ela continue vivendo através de novas mudas.

Paz: As árvores sempre evocaram uma sensação de calma e paz, por isso não surpreende que a Árvore da Vida seja também um símbolo de tranquilidade e relaxamento. As árvores têm uma presença relaxante enquanto se mantêm altas e paradas enquanto suas folhas tremulam na brisa. A Árvore da Vida serve como um lembrete para a sensação única e calmante que se tem das árvores.

Foto: Reprodução

Qual é a história do símbolo da Árvore da Vida?

Como um símbolo, a Árvore da Vida remonta aos tempos antigos. O exemplo mais antigo conhecido foi encontrado nas escavações da Domuztepe na Turquia, que datam de cerca de 7000 AC. Acredita-se que o símbolo se espalhou a partir daí de várias maneiras.

Uma descrição semelhante da árvore foi descoberta nos Acadianos, que data de 3000 AC. Os símbolos representam um pinheiro, e como os pinheiros não morrem, acredita-se que os símbolos sejam as primeiras representações da Árvore da Vida.

A Árvore da Vida também tem um forte significado para os Celtas Antigos. Representava harmonia e equilíbrio e era um símbolo importante na cultura celta. Eles acreditavam que tinha poderes mágicos para que quando limpassem suas terras, deixassem uma única árvore de pé no meio. Eles realizavam suas importantes reuniões sob esta árvore e era um crime muito grave cortá-la.

Múltiplas culturas têm diferentes mitologias envolvendo a Árvore da Vida. Referências ao símbolo foram encontradas no Antigo Egito, Antigo Irã, Antigo Mesopotâmia e Urartu, e em muitos outros lugares. O símbolo era amplamente reconhecido e utilizado em culturas antigas, por isso é difícil identificar suas origens exatas e como ele se espalhou pelo mundo.

Árvore da Vida nas diversas religiões

Cristianismo – A Árvore da Vida é mencionada na Bíblia no Livro do Gênesis. É a árvore que cresce dentro do Jardim do Éden e é a fonte da vida eterna. Há vários significados por trás do símbolo da Árvore da Vida no Cristianismo. Alguns acreditam que é o símbolo da humanidade livre da corrupção e do pecado, enquanto outros acreditam que representa o amor. Acredita-se que a árvore tenha propriedades curativas e seus frutos garantem a imortalidade.

Budismo – No budismo, a Árvore da Vida é conhecida como a árvore do Bhodi e acredita-se que seja a Árvore do Iluminismo. Foi sob essa árvore que Buda alcançou a iluminação, por isso ela é vista como um símbolo muito sagrado.

Crenças Celtas – A Árvore da Vida ainda é um símbolo proeminente nas crenças celtas e é retratada de múltiplas formas. Eles acreditam que as raízes representam o ‘outro mundo’, o tronco representa o mundo mortal e liga as raízes e ramos, e os ramos representam o mundo acima, ou os céus.

Islamismo – A Árvore da Vida é conhecida como a Árvore da Imortalidade no Alcorão. Apareceu no Éden e é a árvore da qual Adão e Eva comeram depois que Alá os proibiu de o fazer.

Judaísmo – No judaísmo, A Árvore da Vida é o que sustenta e nutre a vida. Fica no centro de um jardim frutífero plantado por Javé.

Foto: Reprodução

Árvore da Vida e a Bíblia

Em Apocalipse, depois que o apóstolo João descreve o rio da vida, ele menciona outra característica marcante: “De cada lado do rio estava a árvore da vida, produzindo doze colheitas de frutos, dando seus frutos a cada mês. E as folhas da árvore são para a cura das nações” (Apocalipse 22:2).

A árvore da Vida é mencionada três vezes em Gênesis 2, no Éden, e novamente quatro vezes em Apocalipse, três das quais no capítulo final. Estas instâncias parecem referir-se à árvore literal da vida do Éden. Dizem-nos que a árvore da vida está atualmente no Paraíso, o céu intermediário (Apocalipse 2:7). A própria Nova Jerusalém, também no Céu atual, descerá junto da árvore da vida e de tudo, e colocada na Nova Terra (Apocalipse 21:2). Assim como a árvore aparentemente foi realocada do Éden para o atual Céu, ela será realocada novamente para a Nova Terra.

No Éden, a árvore parece ter sido uma fonte de vida física contínua. A presença da Árvore da vida sugere uma provisão sobrenatural de vida como Adão e Eva comeram os frutos que o seu Criador lhes proporcionou. Adão e Eva foram projetados para viver para sempre, mas para isso eles provavelmente precisavam comer da Árvore da Vida. Uma vez que pecaram, foram banidos do Jardim do Éden, separados da árvore, e sujeitos à morte física, assim como haviam experimentado a morte espiritual. Desde o Éden, a morte tem reinado ao longo da história. Mas na Nova Terra, o nosso acesso à árvore da vida é restaurado para sempre. (Note que não há menção de uma árvore do conhecimento do bem e do mal para nos testar. Os redimidos já conheceram o pecado e sua devastação; não o desejarão mais).

Na Nova Terra, comeremos livremente o fruto da mesma árvore que alimentou Adão e Eva: “Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus” (Apocalipse 2:7). Mais uma vez os seres humanos vão retirar sua força e vitalidade desta árvore. A árvore produzirá não uma safra, mas doze. A novidade e o frescor do Céu são demonstrados no rendimento mensal dos frutos. A fruta não é apenas para ser admirada, mas consumida.

A descrição da árvore da vida em Apocalipse 22 espelha precisamente o que está profetizado no Antigo Testamento: “Árvores frutíferas de toda espécie crescerão em ambas as margens do rio. Suas folhas não murcharão e os seus frutos não cairão. Todo mês produzirão, porque a água vinda do santuário chega a elas. Seus frutos servirão de comida, e suas folhas de remédio”. (Ezequiel 47:12).

Imagem: Reprodução

Fontes: https://www.onetribeapparel.com/blogs/pai/meaning-of-tree-of-life

www.crosswalk.com

Deixe uma resposta