A flor de lótus é uma das criações mais notáveis da natureza. A sua beleza reside na sua pureza, porque esta flor magnífica e rara emerge do fundo de um lago, mas sobe acima das suas profundezas lamacentas para se tornar uma coisa de beleza, significando elevação e crescimento espiritual. Vejamos mais de perto esta notável flor:

A história da flor de lótus

A flor de lótus é conhecida pelo registro fóssil de ter existido entre 145,5 milhões de anos e 65,5 milhões de anos. Naquela época, ela existia tanto no Hemisfério Norte como no Hemisfério Sul. Como a Terra esfriou e secou com o tempo, o habitat da flor diminuiu significativamente, com particular referência à idade do gelo que ocorreu entre 1,8 milhões e 10.000 anos atrás. É uma espécie do Velho Mundo, e pode ser encontrado crescendo do Irã, no oeste, para o Japão, no leste. Em termos de quão longe é encontrado a norte e a sul, ele cresce em Caxemira, na Índia, assim como no sul, em Queensland, na Austrália. Há até uma espécie de lótus resistente, cientificamente chamada Nelumbo komavorii, que pode ser encontrada em Vladivostok, na Rússia.

O Egito antigo é a civilização mais conhecida por ter reverenciado a flor de lótus e a ter usado para simbolizar várias coisas, como a fertilidade, o nascimento e a pureza. Referida como Seshen, a flor de lótus também representava o sol, pois ela floresce ao nascer do sol e se fecha quando o sol se põe. Ela também está associada à morte. O Livro Egípcio dos Mortos afirma que uma pessoa que morreu pode ser transformada em lótus com a ajuda de feitiços mágicos e encantos, simbolizando a ressurreição e o renascimento. Pensa-se que tenha chegado ao Egito vindo da Índia no século VI a.C. – ao longo de uma das antigas rotas de comércio que se estendia pelas partes oriental e ocidental do velho mundo – mas há quem diga que as lótus egípcias são na verdade originárias do Irão.

Foto: Reprodução

A lótus floresceu ao longo das margens do rio Nilo, e mais tarde foi cultivada pelos gregos antigos, como o foi pelos fenícios e romanos, sendo também considerada uma encarnação da perfeição em várias religiões asiáticas, com particular referência ao budismo e ao hinduísmo. Diz-se que a sua qualidade única simboliza o humano que se eleva das trevas do mundo para uma nova forma de pensar e viver. Além do seu significado religioso, eles também têm vários usos no mundo moderno.

Na tradição budista, a flor que se eleva sobre as águas lamacentas representa o ato de ascender acima de todos os desejos e apegos. De acordo com o budismo, esta é a chave para alcançar a iluminação espiritual. Apesar da flor ter suas raízes na lama, ela cresce para cima na direção da luz. Acredita-se que isto representa a aspiração de ascender acima e mover-se em direção à luz. O lótus, portanto, simboliza a viagem da escuridão (como descrito pelo lago lamacento) para a luz do conhecimento ou da sabedoria.

Na tradição hindu, o lugar onde floresce a flor do lótus (suas águas escuras e sujas) representa uma pessoa sábia e espiritualmente iluminada, que cumpre seu dever sem qualquer desejo material ou emocional. A capacidade de se desapegar de tais desejos permite que não se seja afetado por todos os prazeres e ganhos mundanos, alcançando assim a perfeição espiritual. Em seu centro, o botão de lótus é comparado a um coração ou alma dobrada, que tem a capacidade de florescer ou despertar para a verdade divina.

Foto: Reprodução

Como cultivar as flores de lótus?

  1. Coloque as sementes num copo de água morna (cicatrizá-las numa das extremidades primeiro).
  2. Jogue fora as sementes que flutuam na superfície da água, pois é provável que sejam inférteis.
  3. Mude a água todos os dias enquanto você espera que elas brotem.
  4. Plante as sementes em vasos de 4 polegadas cheios de boa espuma de jardim, fazendo uma depressão e colocando uma semente em cada vaso. Cubra suavemente a raiz com terra ou cascalho.
  5. As sementes devem ser mantidas livres de terra se as folhas de lótus já começaram a crescer.
  6. Se não, coloque-as em água morna que não tenha mais de 2 polegadas de profundidade.
  7. Deixar que as sementes plantadas sejam expostas à maior quantidade possível de luz.
  8. Após a temperatura da água atingir 60 graus F, plante as lótus em recipientes maiores sem orifícios de drenagem.
  9. Note que é pouco provável que floresçam durante o primeiro ano após o plantio.

O significado das cores das flores de lótus

O lótus vem predominantemente em cinco cores diferentes, e cada uma tem a sua própria interpretação espiritual.

Lótus branca

Esta flor encantadora é a mais venerada do mundo e é muitas vezes referida como o “ventre do mundo”. Diz-se que denota a pureza da mente, a calma e a serenidade da natureza humana e a perfeição espiritual.

Foto: Reprodução

Lótus rosa

A delicada lótus rosa está associada com as divindades mais elevadas entre culturas e diz-se que representa o símbolo terrestre de Buda. Também se acredita que denota o estado da mente de uma pessoa – um botão fechado representa uma fase de transição para o caminho da espiritualidade, enquanto que um lótus rosado em plena luminosidade denota iluminação. Esta interpretação explica porque um grande número de deuses e deusas hindus, assim como o Buda, são frequentemente representados sentados em um lótus rosa.

Foto: Reprodução

Lótus vermelha

A lótus vermelha representa o coração e simboliza amor desinteressado, paixão, compaixão e bondade. A lótus vermelha, totalmente florida, simboliza um grande coração e generosidade.

Foto: Reprodução

Lótus azul

Esta lótus encantadora significa sabedoria e conhecimento, e representa a vitória sobre os sentidos. Ela ocupa um lugar especial e sagrado na cultura egípcia antiga, e raramente é encontrado. A lótus azul retrata o controle de uma pessoa sobre sua mente e espírito, permitindo que ela deixe de lado as aspirações materialistas da vida.

Foto: Reprodução

Lótus púrpura

Esta flor mística está associada a seitas esotéricas, e pode ser representada como uma flor aberta ou como um botão. As oito pétalas do lótus púrpura são representantes do nobre caminho das oito vezes – um dos principais ensinamentos de Buda. Seguir este caminho é pensado para levar ao auto-despertar.

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta