Categorias
Geral

Toranja

A toranja (Citrus × paradisi), ou grapefruit, é um citrino subtropical conhecido pelos seus frutos moderadamente doces e azedos, relativamente grandes e ligeiramente amargos. A toranja é um híbrido cítrico de Barbados, resultado de um cruzamento acidental entre duas variedades introduzidas – laranja doce (C. sinensis) e pomelo (ou shaddock) (C. maxima) – ambas introduzidas na Ásia no século XVII. Quando foi encontrado, foi apelidado de “fruta proibida”. Muitas vezes é erroneamente identificada como a espécie mãe muito semelhante, o pomelo.

A parte da uva do nome (grape) refere-se a cachos de frutas na árvore que muitas vezes se parecem com cachos de uvas. A polpa interior da toranja é segmentada e de cor variável entre branco e amarelo, vermelho e rosa.

As toranjas perenes atingem geralmente uma altura de cerca de 5-6 metros (16-20 pés), embora possam atingir até 13-15 metros (43-49 pés). As folhas são brilhantes, verde escuro, longas (até 15 polegadas) e finas. Produz flores brancas com quatro pétalas de 5 cm de diâmetro. O fruto apresenta casca amarelo-alaranjada, geralmente achatada, de forma esférica e diâmetro variável de 10-15 cm (3,9-5,9 polegadas). A polpa é segmentada e ácida, de cores diferentes consoante as cultivares, incluindo a polpa branca, rosada e vermelha com diferentes graus de doçura (geralmente as variedades mais doces são as mais doces). A American Ruby Red (variedade Redblush) de 1929 tem a primeira patente de toranja.

Foto: Reprodução

O nome “grapefruit” parece derivar do fato de que, ao contrário dos cítricos normais, os frutos desta árvore crescem em “cachos”, que são vagamente reminiscentes de cachos de uvas.

A origem genética da toranja é uma mistura híbrida. Um dos antepassados da toranja foi a laranja doce jamaicana (Citrus sinensis), um antigo híbrido de origem asiática; o outro foi o pomelo indonésio (C. maxima). Uma história sobre a origem do fruto é que um certo “Capitão Shaddock” trouxe sementes de pomelo para a Jamaica e criou o primeiro fruto, mas é provavelmente um híbrido natural entre as duas plantas algum tempo depois da sua introdução.

A toranja, então chamada de “fruto proibido”, foi documentada pela primeira vez em 1750 por um galês, o Padre Griffith Hughes, que descreveu espécimes de Barbados na História Natural de Barbados. Hoje em dia, a toranja é considerada uma das “Sete Maravilhas de Barbados”.

Conde Odet Philippe trouxe grapefruit para a Flórida em 1823 no que agora é conhecido como o Porto de Segurança. Outras cruzes produziram o tangelo (1905), o tangelo de Minneola (1931) e o oroblanco (1984).

Foto: Reprodução

A toranja era conhecida como shaddock ou shattuck até ao século XIX. O nome atual se refere aos cachos de frutas na árvore, que muitas vezes se assemelham aos da uva. Botanicamente, não foi até a década de 1830 que se distinguiu do pomelo, sob o nome de Citrus paradisi. Só nos anos quarenta do século passado foi estabelecida a sua verdadeira origem. O nome oficial foi, pois, alterado para Citrus × paradisi, com o “×” a indicar a origem híbrida do produto.

Um dos primeiros pioneiros da indústria americana de citrinos foi Kimball Atwood, um empresário rico que fundou a Atwood Grapefruit Company no final do século XIX. Atwood Grove tornou-se a maior plantação de toranjas do mundo, com uma produção anual de 80.000 caixas de frutas. É lá que a toranja rosa foi descoberta pela primeira vez em 1906.

A patente Ruby Red de 1929 foi associada a um verdadeiro sucesso comercial, na sequência da descoberta de uma toranja vermelha cultivada numa variedade rosada. Ao usar a radiação para desencadear mutações, novas variedades foram desenvolvidas para preservar os tons vermelhos, que geralmente ficam rosa. O tipo Rio Red é a atual toranja texana (2007) com as marcas registradas Rio Star e Ruby-Sweet, também promovida como “Reddest” e “Texas Choice”. Rio Red é uma estirpe de mutação desenvolvida através do tratamento de topsticks com nêutrons térmicos. As características melhoradas da variedade mutante são a cor do fruto e do sumo, uma cor vermelha mais escura e uma adaptação mais ampla.

Foto: Reprodução

O rubi estrela é a mais escura das castas tintas. Desenvolvida a partir de uma toranja Hudson irradiada, tem tido um sucesso comercial limitado porque é mais difícil de cultivar do que outras variedades.

A toranja está disponível em diferentes variedades. Uma forma de distinguir as variedades é pela cor da polpa dos frutos que produzem. As variedades mais populares atualmente cultivadas são o vermelho, o branco e o rosa, referindo-se à cor interna da polpa. A família dos sabores varia de muito azedo e ligeiramente azedo, a doce e azedo. O mercaptan de toranja, uma substância terpénica sulfurosa, é uma das substâncias que tem uma forte influência no sabor e cheiro da toranja em comparação com outros citrinos.

Toranja e sumo de toranja interagem com muitos medicamentos e, em muitos casos, causam efeitos secundários diretos ou secundários (se a dosagem não for cuidadosamente ajustada).

Foto: Reprodução

Isto acontece de duas formas muito diferentes. No primeiro caso, o efeito vem da bergamotina, um documentário furano natural de carne e toranja que inibe a enzima CYP3A4 (entre outras da família das enzimas P450 responsáveis pelo metabolismo de 90% das drogas). A ação da própria enzima CYP3A4 é metabolizar muitas drogas. Se a eliminação do medicamento for reduzida, a concentração de sangue do medicamento pode tornar-se demasiado elevada ou permanecer no sangue demasiado tempo, o que pode levar a efeitos secundários. Por outro lado, algumas drogas têm de ser decompostas para se tornarem ativas e a inibição do CYP3A4 pode reduzir os efeitos da droga.

O outro efeito é que a toranja pode bloquear a absorção de drogas no intestino. Se a droga não é absorvida, não há suficiente no sangue para ter um efeito terapêutico. Cada droga afetada tem um aumento específico no efeito ou uma diminuição.

Uma toranja inteira ou um copo de 200 ml de sumo de toranja (6.8 fl. oz. US) pode causar uma overdose de toxicidade. Geralmente, os medicamentos que não são compatíveis com a toranja são rotulados na embalagem ou no anexo informativo. As pessoas que tomam medicamentos devem perguntar ao seu profissional de saúde ou farmacêutico sobre a interação entre toranja e medicamentos.

Foto: Reprodução

A toranja é uma rica fonte de vitamina C (>20% do seu valor diário, DV numa porção de 100 gramas), contém pectina, e os tons rosa e vermelho contêm o licopeno antioxidante benéfico. Estudos mostraram que a toranja ajuda a baixar os níveis de colesterol, e foi provado que as sementes têm propriedades antioxidantes. Toranja é o coração da “dieta de toranja”, onde a teoria é que o baixo índice glicêmico da fruta é capaz de ajudar o metabolismo do corpo queimar gordura.

Embora o extrato de semente de toranja (GSE) seja apresentado por alguns fabricantes de produtos naturais de cuidados pessoais como conservante herbal, estudos têm demonstrado que a atividade antimicrobiana aparente associada às preparações de GSE é simplesmente devido à contaminação com conservantes sintéticos como os parabenos.

Os citrinos são altamente deteriorados e contêm muito pouca espermidina. O sumo de toranja contém cerca de metade do ácido cítrico ou sumo de lima (que contém cerca de 47 g/l) e cerca de duas vezes e meia a quantidade de ácido cítrico no sumo de laranja.

Foto: Reprodução

É inegável que a laranja e a toranja têm propriedades comuns, a maior das quais é a sua grande quantidade de vitamina C. Também conhecido como ácido ascórbico, é um poderoso antioxidante. Mas o que significa isto? Simplesmente ajuda a combater o excesso de radicais livres nos nossos corpos e evita a oxidação das células que, na pior das hipóteses, podem causar cancro. E ao prevenir a deterioração, a vitamina C previne o envelhecimento prematuro.

Além disso, fortalece o sistema imunitário e reduz o risco de uma doença, porque pode combater as substâncias invasoras de forma mais precisa. Mas os benefícios vão ainda mais longe. Ajuda o corpo a absorver ferro, o que não só previne a anemia, mas também acelera o metabolismo do corpo. Portanto, seu uso também é recomendado para aqueles que fazem exercícios, pois dá mais energia ao corpo.

É bom que o sabor seja diferente, mas você pode tentar substituir a laranja pela toranja como parte de algumas receitas. Por exemplo, já pensaste em fazer bolos de toranja? Ou qualquer outro doce que use esta fruta como um dos seus ingredientes principais? Se a resposta for não, é hora de mudar a imagem! A toranja também é frequentemente utilizada na preparação de chá, sumos e compotas. Em suma, nas mesmas coisas que as pessoas usam laranja.

Foto: Reprodução

Depois de tudo isso, há dúvida: há diferença entre esses dois frutos? Em primeiro lugar, o seu sabor e aparência são diferentes, por isso não faz sentido fazer um sumo de toranja e pensar que o seu sabor será o mesmo que o da laranja. Por último, o limão é também um citrino e não é comparável aos citrinos. A laranja também tem variedades diferentes, cada uma das quais é especificada para uma finalidade diferente, enquanto não há falta de toranja, pois há apenas uma variedade.

Ao mesmo tempo, alguns estudos sugerem que a toranja não deve ser consumida por pessoas que tomam determinados medicamentos porque pode bloquear uma enzima que é responsável pela decomposição das substâncias nestes medicamentos. Portanto, se você está passando por algum tipo de tratamento, pode ser melhor consultar um médico ou nutricionista antes de adicionar toranja à sua dieta diária.

Quais são os benefícios da toranja para a saúde?

Perda de peso

A toranja é uma fruta enzimática que suporta o metabolismo das gorduras, tem um elevado teor de água e um baixo teor de sódio. A combinação destes três ingredientes faz da toranja a fruta ideal para suportar a perda de peso. Adicione esta fruta à sua dieta diária e verá que alguns quilos desaparecem.

Foto: Reprodução

Prevenção da artrite

Toranja contém ácido salicílico, que ajuda a quebrar o cálcio inorgânico que se acumula na cartilagem articular e causa artrite. Se você sofre de artrite, tome metade de um copo de suco de toranja com vinagre de maçã diariamente e você vai notar uma diminuição na inflamação articular.

Prevenção do câncer

A toranja é rica em caroteno, que é um agente eficaz contra o cancro porque combate os radicais livres. O licopeno é enriquecido pela presença de vitaminas A e C, que também se encontram nas toranjas. Outro componente, a naringenina, ajuda a reparar o ADN celular em doentes com cancro da próstata e impede a multiplicação das células cancerígenas.

Redução do colesterol

Os antioxidantes contidos na toranja são muito eficazes na redução dos níveis de colesterol. Mas se você está tomando qualquer tipo de medicação para baixar o colesterol, não comer toranja ou tomar suco de frutas. A toranja reage negativamente quando associada a medicamentos usados para tratar colesterol alto, depressão, alergias, hipertensão, epilepsia, impotência, palpitações e até mesmo HIV. Consulte sempre o seu médico antes de adicionar este fruto ou o seu sumo à sua dieta se estiver a tomar um medicamento.

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta